Baixe nosso App

  • Martins
  • Lana Construções
  • Delrio
  • Guanabara
  • A Preferida
  • Sanzio
  • Moageira
  • Dissobel
  • execu
  • Nilo Motos
  • Ponto cimento
  • Ceramica Torees
  • GB Calçados
  • Parafusao
  • Sovaril
  • Afranio
Sobral e Região

Sobral e Região (401)

A Faculdade Maurício de Nassau em Fortaleza está recrutando, a partir desta segunda-feira (15), pessoas para trabalhar na instituição. São quatro oportunidades destinadas ao setor comercial para atuação nas cidades de Sobral e Maracanaú.

São duas vagas para cada cidade e o requisito básico para vaga é estar regularmente cursando ou ter superior completo nas áreas de Marketing, Administração, Comunicação Social ou Ciências Contábeis. A carga horária é de 44 horas semanais.

Para candidatura, os interessados devem entrar em contato através do telefone (85) 3201-2427 ou enviar currículo até 26/05, com o assunto “Consultor Comercial Sobral” e “Consultor Comercial Maracanaú” para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Nessa quinta-feira (18), a Polícia Civil prendeu três homens suspeitos de participarem de um latrocínio ocorrido em 17 de abril,em Quixeramobim, a 212 quilômetros de Fortaleza. Eles foram identificados como Francisco Felipe de Souza, de 23 anos, o “Boca”; Deymison Brito Barbosa, 23 anos; e Igor Sousa Feitosa, 19.

Este último era cunhado da vítima, o agricultor Francisco Victor Queiroz da Silva. Chamou a atenção dos policiais civis a dissimulação dele diante do luto da família.

Mesmo sendo o autor do disparo contra a vítima, Igor foi ao velório e chorou junto à família“, contou o delegado André Firmino, titular da Delegacia Municipal de Quixeramobim.

O trio confessou o crime, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

O crime

O assalto ocorreu na localidade de Oiticicas, na zona rural de Quixeramobim. Segundo a SSPDS, os homens chegaram à casa da namorada de Francisco Victor em uma motocicleta, portando uma escopeta calibre 12.

Após subtraírem dois aparelhos celulares e a quantia de R$ 200, os criminosos atiraram em Francisco Victor, que reagiu à ação, segundo apurou a Polícia Militar no local do crime. A vítima chegou a ser encaminhada a um hospital da cidade, mas não resistiu.

Um segundo presidente da República pode cair em somente um ano. Envolvido em suspeita de corrupção, Michel Temer (PMDB) pode seguir o mesmo caminho de Dilma Rousseff (PT), que sofreu Impeachment em 2016. Diante da possibilidade que um novo presidente assuma o cargo como consequência da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o Tribuna do Ceará fez uma enquete na fanpage do portal para saber dos leitores quem seria o melhor nome.

As opiniões foram diversas, mas o nome mais citado foi do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), com 92 menções. “Bolsonaro 2018. Esse é meu voto, então não comente se não é o seu, porque estamos em um país que se diz democrático, então fica com suas opiniões e ladrões para lá”, afirma um dos internautas. “Mito 2018! A cura contra a corrupção e o crime”, afirma outro.

O ex-presidente Lula também foi outro político bastante citado nas postagens, com 26 comentários. Além dele, o deputado federal Tiririca (PR), Ciro Gomes, Marina Silva, o atual prefeito de São Paulo João Dória, o senador Tasso Jereissati (PSDB) e até a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmém Lúcia foram outros nomes lembrados pelos leitores.

Os mais citados na enquete da Tribuna:

Jair Bolsonaro: 92
Lula: 26 votos
Tiririca: 19 votos

Trinta e cinco mandados de prisão são cumpridos na manhã desta quarta-feira (25) em cinco estados do País, incluindo o Ceará. A operação Epístolas visa desarticular uma quadrilha que seria ligada ao traficante carioca Fernandinho Beira-Mar, que atualmente cumpre há 11 anos pena na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

Segundo a Polícia Federal, o grupo criminoso, além de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, teria atuação em crimes como exploração de máquinas caça-níquéis e mototáxi e comercializações ilegais de água, botijões de gás, cestas básicas e cigarros. O grupo teria movimentado mais R$ 9 milhões com as transações ilegais e já foram identificados bens pertencentes à quadrilha avaliados em aproximadamente R$ 30 milhões.

A operação ainda é feita no Rio de Janeiro, na Paraíba, no Distrito Federal, em Rondônia e no Mato Grosso do Sul. Além dos 22 mandados de prisão preventiva e 13 de prisão temporária, são cumpridos ainda 27 ordens de condução coercitiva, 85 de busca e apreensão, além de diversas outras medidas cautelares, como bloqueio de valores depositados em 51 contas bancárias e suspensão de atividades comerciais de nove empresas.

A quadrilha tem atuação em três comunidades do município fluminense de Duque de Caxias. Beira-Mar, de acordo com a PF, liderava o grupo por meio de bilhetes de papel e celular.

Investigações

Em nota à imprensa, a Superintendência da PF no Rio de Janeiro divulgou que o primeiro bilhete com ordens de Beira-Mar foi encontrado picotado em uma marmita por agentes federais de execução penal na Penitenciária Federal de Porto Velho.

“Após a reconstituição e exame grafotécnico, atestou-se ter sido escrito pelo líder da quadrilha, preso naquela unidade. Pelo documento, foi possível identificar ordens a outros integrantes do grupo que se encontravam em liberdade”, afirma a PF. Ao todo, foram apreendidos cerca de 50 bilhetes redigidos ou endereçados a Beira-Mar.

“Para tentar comprovar a origem dos rendimentos, foi montado um forte esquema de lavagem de capitais através de empresas de fachada e estabelecimentos comerciais, sobretudo casas de shows e bares, além de aquisições e reformas imobiliárias”, diz a PF. Fernandinho Beira-Mar deve ser transferido da penitenciária.

A Superintendência da PF no Ceará não divulgou detalhes da operação no Estado.

Citado na delação premiada do empresário Wesley Batista, um dos donos da JBS, o ex-governador Cid Gomes reagiu com indignação e anunciou que vai processar o delator que deu informações sobre, pagamento de propina, aos investigadores. O pedetista reconheceu as doações feitas pela empresa à campanhas eleitorais, mas negou irregularidades.

“Todas as campanhas tiveram, sem questionamento algum, contas aprovadas pela Justiça Eleitoral. De maneira, quero aqui afastar e veementemente registrar minha indignação com essas denúncias. Não me resta outro caminho, que não seja processar por calúnia. Irei constituir um advogado e irei processar o delator por calúnia e por difamação”, disse Cid, ontem, durante coletiva no comitê de imprensa da Assembleia Legislativa do Ceará.

Cid reiterou que não tinha relações pessoais com o denunciante e diz que jamais autorizou alguém a agir em seu nome. Ele afirmou que lembra de ter encontrado os irmãos Batista no Ceará, durante a inauguração de uma fábrica de couros comprada pelo grupo na cidade de Cascavel, no litoral cearense. Além disso, outro encontro ocorreu na sede da empresa para tratar da instalação de uma fábrica no Estado, prometida pelos irmãos, e também da candidatura ao Governo de Goiás de um deles.

“Em nenhum momento eu dei permissão, insinuei, sugeri ou permiti que alguém fizesse vínculo para a campanha a qualquer tipo de benefício. Nem eu, nem ninguém com minha autorização”, afirmou ele, acrescentando que “minha índole não permite fazer solicitação vinculando algum benefício por parte do Estado”.

O delator acusa, além de Cid, os secretários Arialdo Pinho e Antônio Balhmann de negociar propina para as campanhas de 2010 e 2014. O ex-governador, entretanto, admitiu que os atuais secretários estaduais eram responsáveis pela arrecadação de recursos para eleição majoritária de 2014, mas negou que tenha dado orientação para “achacar” ou “chantagear” a empresa. Segundo Cid, o delator não lhe faz atribuição, apenas aos secretários, que estavam licenciados, e estavam buscando financiamento para a campanha.

Ainda sobre a denúncia, Cid afirmou ser obrigação do Estado pagar créditos tributários a empresas. Isto porque, durante delação, Wesley Batista citou que o repasse no valor de R$ 110 milhões à JBS em relação aos créditos do ICMS seria uma condição para a doação de R$ 20 milhões à campanha de Camilo Santana (PT).

“Definição de pagamentos pelo Governo do Estado não são da esfera ou da atribuição do governador. Governador não é ordenador de despesas, muito, menos, liquidador de despesas. Cada secretaria tem seu orçamento próprio e, tanto o reconhecimento da dívida quanto pagamento da dívida, é feito a nível de secretária”, frisou o ex-gestor, acrescentando que o Estado possui órgãos colegiados que fazem esta análise.

“Eu, pessoalmente, por exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal, cuidei de analisar ao fins dos meus mandatos. Não estou falando desta especificamente, mas, todas, as despesas empenhadas do Governo do Estado, para que fossem pagas para não ficar sob o mandatário do governo como não pagas”.

Ainda segundo ele, os valores citados fazem referências a desoneração de exportações – um benefício relativo ao ressarcimento daquilo que as empresas recolheram de ICMS de produtos primários e semielaborados ou serviços, regulamentado por lei federal chamada Kandir.

Divergência
Questionado sobre a que ele atribui as acusações, Cid afirmou não fazer seu “estilo” especulações, mas “é uma pergunta que não quer calar”. Ele admitiu que, ao tomar conhecimento das primeiras informações, ficou preocupado, por isso tratou de responder logo. Porém, após tomar conhecimento mais profundo dos fatos, observou divergências entre as declarações dadas em vídeo e as denúncias escrita e assinada pelo delator. Disse ainda estar “mais aliviado, pois é uma calúnia”.

Michel Temer
Sobre a saída vivenciada pelo país, o ex-governador afirmou que a resposta está Constituição. Ele, entretanto, evitou analisar as acusações envolvendo opositores. Afirmou apenas que “a mim convence gravação. A mim convence alguém com mala de dinheiro”, destacou.

Terça, 23 Maio 2017 02:27

Confira o vídeo Gente Feia, do Gemialidades

Escrito por

As ruas do Centro de Sobral, a 233 quilômetros da Capital, foram tomadas nesse sábado (20) por dezenas de pessoas ansiosas para saber quem seria o campeão do 1º Campeonato de Gente Feia.

Elas testemunharam a glória de Evilásio dos Santos, o grande vencedor do concurso. ET, como é conhecido, levou para Martinópole, sua terra natal, o grande prêmio de R$ 1.000.

“Estou me sentindo mais feliz. E muito feio”, afirmou Evilásio à Rádio Tribuna Bandnews FM. Premiação a quem foi pódio

O concurso ainda elegia segundo e terceiro colocados, que levaram, respectivamente 500 e 300 reais. Veja abaixo os escolhidos. Você acha que foi justo o resultado? 

Terça, 23 Maio 2017 02:34

Martinópole vence concurso Gente Feia

Escrito por

O 1º Campeonato de Gente Feia da Região Norte, reuniu uma multidão na tarde deste sábado(20) no Bar do Lulu, no centro de Sobral. Com uma platéia prá lá de alegre e contando com a presente de várias redes de TV, Blogs e outras mídias.

Vários candidatos foram inscritos para este concurso que reuniu gente de Sobral e de várias cidades da Região Norte.  A premiação foi de 1.000,00 para o 1º lugar; 500,00 para o 2º e 300,00 para o 3º colocado.

Veja os Vencedores:

O primeiro lugar foi de um FEIO procedente da cidade Martinópole(CE). O Segundo colocado foi da cidade de Meruoca e o terceiro da cidade de Sobral – a “Bebel do Parque Santo Antonio”.

Diante da falta de vagas no Sistema Penitenciário superlotado do Ceará, as facções querem ser alocadas por afinidade. Os Guardiões do Estado (GDE), que assumem a autoria dos quatro dias de ataque que pararam Fortaleza, estão brigados com o Comando Vermelho e a Família do Norte (FDN), por isso querem ficar separados em uma penitenciária, ou serem alocados em unidades dominadas pelo Primeiro Comando da Capital (PCC).

Para o presidente do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará (Copen), Cláudio Justa, houve um acato às demandas dos detentos, expostas em cartas deixadas nos ônibus queimados. "O Estado se curvou à realidade das unidades prisionais e teve que conversar com as facções".

Justa conta que o Conselho foi informado sobre um remanejamento de detentos, no último fim de semana, a fim de impedir derramamento de sangue no interior das unidades prisionais. Conforme o presidente do Copen, o Ministério Público do Estado (MPCE) "acompanhou e negociou declarações de quais detentos são de facções contrárias para evitar um confronto".

Cláudio Justa considera que a partir do momento em que o Estado conversou com os criminosos, no intuito de atender demandas, foi revelada uma fragilidade. "O Estado mostrou que não tem condição de fazer uma custódia adequada", afirmou.

Os relatos dos detentos mostram insatisfação constante com o tratamento nas unidades. Os presos dizem ao Conselho que acontecem espancamento provenientes de uma equipe militarizada de agentes penitenciários preparada para intervir em rebeliões. "As famílias e os detentos falam que há opressão e maus- tratos. O Conselho sabe que há consonância com a realidade. Nas celas, o espaço é para seis e, muitas vezes, tem 13, 14. Eles querem sair dessas celas e retornar às vivências porque lá se sentem no controle das unidades", reiterou Cláudio Justa.

Motim

De acordo com o Copen, na madrugada do sábado (22), houve um princípio de motim na Unidade Penal Adalberto de Oliveira Barros Leal, conhecida como 'Carrapicho', localizada em Caucaia. Segundo o Conselho, após este episódio houve transferência interna no Carrapicho.

Justa ressalta que também ocorreram transferências na CPPL III, localizada no Complexo Penitenciário de Itaitinga II. "São remanejamentos recomendados pela Inteligência. Sabemos que na CPPL II há uma situação mais complexa. A GDE está em iminência constante de conflito com o Comando Vermelho. A Sejus tenta remanejar, mas o Sistema não tem folga. Não tem vaga sobrando nas outras".

Os riscos vão além de um conflito entre as facções. Em cartas deixadas nos pontos onde aconteceram os ataques, a organização criminosa GDE exige que as transferências sejam feitas com urgência, sob a ameaça de voltar a agir. "Inicialmente, deve ser separada a GDE do Comando Vermelho e da FDN, mas nós sabemos que é preciso separar todas as facções umas das outras, porque eles têm uma ligação de cooperação que é quebrada a qualquer momento e podem se rivalizam de imediato. Juntas, o confronto é iminente", contou o presidente do Copen.

O advogado Alexandre Sales, que representa detentos custodiados no Complexo II e é membro do Conselho Penitenciário da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE), diz que os internos mencionam que houve um acordo para que as transferências de membros da GDE sejam realizadas. "Isso não vai ser feito de uma vez, mas eles estão transferido devagar os presos da GDE para a antiga CPPL I. Cada facção já tinha sua penitenciária e agora foi a vez da GDE 'conquistar' a dela. É absurdo, mas é assim. Sob a alegação que está salvando vidas, o Estado está entregando na mão de cada facção a chave de um presídio".

Segundo o advogado, alguns integrantes do CV ainda estão na CPPL I, por isto a divisão dos detentos está sendo feita por ruas, para que só depois seja feita uma realocação definitiva. Sales contou também que os presos que não são aliados à facção nenhuma estão sendo pressionados para se filiarem.

"Os presos chamados no Sistema de massa carcerária, que são aqueles que não têm facção, estão sofrendo demais. Muitos são primários e querem apenas cumprir sua pena e sair dali, mas as facções estão pressionando. Com a separação por ruas, feita pela Sejus, não fica muito cheio nos lugares separados para as facções, mas sobra muito pouco da Cadeia para amontoar a massa carcerária. Um cliente me disse que está dormindo com a cabeça na privada, porque mesmo se revezando na hora de dormir, foi o único lugar que sobrou para ele. Isso é muito grave, o Governo está praticamente empurrando as pessoas para se aliarem a uma facção, porque é a melhor forma de sobreviver lá dentro".

A titular da Sejus, Socorro França, negou a existência de qualquer acordo. "Desconheço completamente. Nego com a minha fé pública que não houve nenhum tipo de acordo com os presos", afirmou. Segundo ela, também não houve transferência recente. "A última foi na semana passada. Estamos fazendo o remanejamento, de acordo com a Lei de Execução Penal (LEP). Não posso negar que muitas vezes, os próprios presos procuram a direção da unidade e dizem que estão sendo ameaçados e pedem para serem transferidos. E como nós estamos superlotados, temos que realocar, mas tudo dentro da LEP".

Túnel

Um túnel que seria utilizado para fuga de detentos foi encontrado, na noite de domingo (23), na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor José Jucá Neto (CPPL III), liderada pelo PCC. Segundo a Sejus, o buraco foi achado por agentes penitenciários, durante uma ronda. Após a descoberta, o Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (Gape) "retirou todos os presos da vivência e isolou o espaço, evitando qualquer fuga", conforme a Pasta. Segundo o órgão, o túnel também não tinha sido utilizado antes de ser descoberto.

A Sejus também acrescentou, em nota, que "viaturas do Batalhão de Choque permaneceram na área externa da CPPL durante toda a madrugada, auxiliando na ação preventiva". Durante o dia de ontem foi realizado o fechamento da escavação.

No mês passado, pelo menos, duas situações semelhantes foram registradas na penitenciária. No dia 12 de março, onze internos fugiram da unidade através de um túnel, durante a madrugada. Dois dias após a fuga, outros quatro túneis foram encontrados na Vivência A após vistoria da Sejus. À época do acontecido Cláudio Justa afirmou que na Vivência A, onde os túneis foram encontrados, estavam recolhidos os detentos mais perigosos do PCC.

Quarta, 26 Abril 2017 03:23

O colapso nas ruas e a crise nas penitenciárias

Escrito por

Além dos problemas graves já comuns do Sistema Penitenciário, como a superlotação e a falta de efetivo de agente penitenciários, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) enfrenta, agora, um desafio ainda maior: a briga entre as facções, que antes conviviam amigavelmente. Os presos se recusam a serem mantidos com os rivais. Mas se as vagas são escassas, como dividí-los no Sistema pela afinidade entre as facções? Enquanto a questão não é resolvida, Fortaleza corre o risco de um novo colapso.

Uma fonte ligada à cúpula da Segurança Pública diz que a situação é dramática. "Antes as coisas davam minimamente certo, porque não eram as facções que brigavam. As confusões eram pontuais entre uma gangue de bairro que ameaçava outra, um chefe de quadrilha que se sentia ameaçado, duas pessoas que tinham brigado aqui fora e se encontravam lá dentro. Coisa que podia ser resolvida com a transferência de pouca gente. Agora eles querem que seja feita uma verdadeira readequação no Sistema, para que as facções amigas fiquem nas mesmas unidades, mas não dá para fazer isso".

A fonte diz que as facções são monitoradas e as lideranças identificadas, porém movimentos como os que foram iniciados na última quarta-feira (19) e duraram até o sábado (22) são difíceis de controlar. "Com a facilidade que uma mensagem se espalha na internet é muito complicado controlar uma série de ataques como essa. Eles emitem o que chamam de 'salve' e as pessoas que estão soltas vão cumprindo. Nosso grande problema é que a comunicação dos criminosos e os comparsas deles não é interrompida na prisão. Os muros dessas penitenciárias viraram apenas um símbolo, porque com o celular na mão não tem ninguém realmente preso".

Um policial de uma célula de Inteligência afirmou que algumas medidas emergenciais foram tomadas para controlar situações como esta, que surpreendeu Fortaleza, mas foram apenas paliativas. "Quando houve a briga nacional entre PCC e Comando Vermelho e houve aquela grande rebelião em Manaus as facções foram separadas nos Estados em que havia tensão. O Ceará fez isso, mas sabia que estava resolvendo as coisas só por aquele momento. O Sistema Penitenciário é um moribundo medicado com morfina: passa a dor, mas não melhora".

Na sexta-feira (21), promotores de Justiça estiveram em unidades prisionais e conversaram com detentos. O advogado de um preso da facção Guardiões do Estado (GDE) revelou à reportagem que houve tratativas sobre possíveis transferências com os detentos. O Ministério Público do Ceará (MPCE) disse "que acompanha todos os acontecimentos do Sistema Penitenciário, inclusive, com inspeções diárias oficiais nas unidades prisionais. O trabalho vem sendo feito pelas Promotorias de Justiça de Execução Penal, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e pelo Núcleo de Investigações Criminosas (Nuinc). O órgão informa que, após ouvir os internos da unidade conhecida como Carrapicho, discutiu a adequação deles à Lei de Execuções Penais (LEP), realizando ajustes dentro da própria unidade".

Problemas anteriores

Outro servidor da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que falou com a reportagem, confirmou que os problemas são antigos e que estão se agravando. Segundo ele, na quarta-feira (19), três presos que estavam sendo sistematicamente espancados em uma unidade do Complexo Penitenciário de Itaitinga foram retirados de lá e encaminhados para uma carceragem da SSPDS. Nos dias que antecederam os ataques, se espalhou um vídeo de um preso sendo agredido em uma unidade do mesmo Complexo.

"A falta de limites beira o inacreditável. O que os criminosos fizeram foi uma chantagem com o Estado. Estavam promovendo espancamentos e pararam a Capital para serem notados. Muita gente se diz comprometida com a resolução dessa crise, mas como tanta gente não viu antes que isso iria estourar?"

A Sejus, informou através da assessoria de imprensa, que "a situação nas penitenciárias está tranquila, sem nenhum relato de movimentações suspeitas ou motins". O órgão acrescentou que "não houve nenhuma transferência de internos neste fim de semana e não há nenhuma transferência programada até a próxima semana".

Líder da FDN

Outro fato ocorrido nas ruas que está sendo atribuído ao confronto entre as facções criminosas é a execução de Vainer Matos Magalhães, morto na quinta-feira (20), na Avenida Santos Dumont. O homem que estava no Ceará com um documento em nome de Vagner Córdovas Magalhães seria uma peça importante da Família do Norte (FDN).

'Vainer Pepe' era procurado no Estado do Amazonas, tanto pela Polícia, quanto por criminosos de facções rivais. "Ele fazia transporte de armas e drogas, até mesmo de outros países. Encontrou refúgio aqui. Como quase ninguém o conhecia, o plano era ganhar muito dinheiro com a atividade que desempenhava. Só que essas facções têm 'olhos' em todos os Estados e descobriram onde ele estava", afirmou o servidor da SSPDS.

O investigador explica que matar um criminoso reconhecido na hierarquia da facção rival faz com que o executor cresça na dele. "É uma demonstração de poder. A verdade é que essas facções todas são rivais, por mais que vivam amigavelmente por um tempo cada uma tem seus interesses e quando a outra interferir vai gerar um conflito. Não dá para saber qual delas pode ter cometido o homicídio ainda, porque todas teriam algum interesse na morte dele".

O policial ressalta a arma e a logística do crime. "O atirador usou uma pistola com poder de fuzil, que as Forças Armadas de outros países utilizam. Uma arma capaz de furar alguns tipos de blindagens. O suspeito é alguém de confiança na facção, que os líderes sabiam que não corria o risco de a Polícia encontrá-lo e apreender a arma, porque ela custa muito caro".

Ônibus devem circular normalmente hoje

Todas as linhas de ônibus devem voltar ao funcionamento regular hoje, sem o esquema de comboio acompanhado pela Polícia Militar, garante o Sindicato das Empresas de Ônibus de Fortaleza (Sindiônibus). A informação já havia sido confirmada pelo prefeito Roberto Cláudio no sábado (22). "Garantia nossa. Tivemos reunião com a Etufor", declarou em entrevista à rádio AM 810 Verdinha. Entretanto, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), informou que haverá, sem previsão para o término, esquema especial de segurança para 45 linhas de coletivos da Capital.

No terminal do Papicu, o movimento de ônibus era normal. Entretanto, as pessoas ainda não se sentiam tranquilas ao usar o transporte coletivo FOTO: KID JÚNIOR

"Queria registrar a contundência e a firmeza da resposta do governador Camilo Santana e das Forças de Segurança do Estado. Se quiseram amedrontar ou constranger as ações do Governo, quebraram a cara. O Governo não cedeu, foi para cima, mandou uma mensagem dura, prendeu 16 pessoas. E o mais importante, quando a Prefeitura procurou o Governo para garantir o apoio das Forças de Segurança para o transporte público, de imediato foi garantido. Os ônibus, na quarta-feira de noite e na quinta-feira durante o dia, seguiram em comboio da PM ligando os terminais", destaca o prefeito Roberto Cláudio.

'Apreensão'

Ontem, a reportagem do Diário do Nordeste percorreu o terminal do Papicu e, de acordo com policiais militares, nenhum ônibus seguia em comboio com a PM. Apesar da normalidade, passageiros ainda se sentiam inseguros no transporte coletivo.

Para o professor Francisco Queiroz, falta ônibus em alguns bairros de Fortaleza. "Eu acho que ainda não está normal, falta segurança e os ônibus estão demorando a passar", diz. Segundo ele, muita gente está revoltada com a falta de transporte público em pontos da Capital.

Já para a atendente Tainara Arcelino, a normalidade vai retornando aos poucos. "Normal não está, mas está mais tranquilo, por enquanto", afirma. Ela conta que foi rápido chegar ao terminal do Papicu, mesmo sendo um domingo. Tainara ainda diz que algumas amigas reclamaram da falta de transporte no bairro Vila Velha.

O estudante Igor Paccini afirma que ainda não se sente seguro usando os coletivos, mas explica que notou um clima de tranquilidade na ida ao terminal.

 


Os sistemas de abastecimento vão beneficiar, ao todo, 345 famílias

O município de Senador Pompeu conta, a partir desta quinta-feira (23), com mais recursos para convivência com a seca e novas oportunidades de trabalho . O governador Camilo Santana esteve na cidade, onde realizou a entrega de três cartas de crédito para sistemas de abastecimento de água pelo Projeto São José III, além de participar da inauguração do novo galpão da empresa Calçados Senador Pompeu, que vai gerar um total de 1.400 empregos diretos.

r20160623175413  MG 8661

O chefe do Executivo destacou a importância dessas obras para o município. "Esse galpão é importantíssimo porque vai gerar mais de mil empregos e cidadania para as pessoas do município, num momento em que o país vive em extrema dificuldade econômica. Vale lembrar que vivemos o quinto ano consecutivo de seca. É algo que não depende de nós, mas estamos trabalhando forte através de medidas para conviver com essa realidade. Essas cartas de crédito para sistemas de abastecimento de água vão ser úteis para centenas de famílias desse município pelo qual tenho um carinho muito grande ", disse.

Os sistemas de abastecimento vão beneficiar, ao todo, 345 famílias, sendo 111 da comunidade Genipapeiro (R$ 712,773,57), 64 da comunidade de Lindóia (R$479,252.76) e 170 famílias do KM Doze. (R$ 1,402,006.72). O investimento total é de R$ 2.594,033.05.

r20160623172913  MG 8452

Maria Bonssucesso Pereira, representante da comunidade de Genipapeiro, recebeu a carta de crédito das mãos do governador e não escondeu a felicidade. "Estamos muito contentes porque todos nós precisamos de água, é essencial para a vida de cada um. Ver que o Governo do Estado está se preocupando com isso nos traz um alívio, todo o município está agradecido", disse.

Camilo Santana visitou o novo galpão, de 4.280m² e  9.000m² de área total do terreno, construído pelo Governo do Estado, via Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). O espaço foi cedido para a empresa, que já gera 900 empregos diretos e, com a expansão, vai gerar mais 500 empregos. A fábrica exporta para Arábia Saudita, Bolívia, Argentina, Itália e Colômbia. O investimento foi de R$ 2.601.362,04.

rIMG-20160623-WA0037

O presidente da Adece, Ferruccio Feitosa, destacou o trabalho que vem sendo realizado para melhorar a vida de cada um. "Quero agradecer ao governador Camilo Santana pela confiança depositada em minha pessoa ao me chamar para fazer parte do seu governo. Pode ter certeza que trabalharei com afinco, sei que o seu desejo é mudar a vida dos cidadãos cearenses. Estamos fazendo isso, trazendo emprego, melhorando o nível de vida. É cerca de R$ 1,4 milhão que entra para a economia de Senador Pompeu, é uma alegria muito grande para nós", disse.

Estiveram também presentes no evento o secretário do Desenvolvimento Agrário, Dedé Teixeira; o secretário da Pesca, Aquicultura e Agricultura, Osmar Baquit; o presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque; o deputado federal José Guimarães; entre outros.

Fonte: Governo do Estado do Ceará

 

Radio Popup

"

Temos 32 visitantes e Nenhum membro online